• Corregedoria abre consulta pública para elaboração do seu planejamento estratégico 2021-2026

  • Doações de servidores e magistrados do TJTO para o Hospital do Amor do Tocantins já passam de R$...

  • Alunos da Escola Municipal Almirante Tamandaré recebem Cartilha da Justiça e aprendem sobre seus...

  • “Objetivo é formar cidadãos de bem”, diz desembargador João Rigo ao lançar programa sobre Justiça...

  • Divulgado Calendário de Correições da CGJUS/TO para 2020

  • Desembargador João Rigo lança Programa Justiça e Cidadania nesta sexta-feira (7/2), na escola...

  • Publicado edital para quem quiser ser de Padrinho Nota 10 de crianças e adolescentes em situação...

  • Judiciário tocantinense volta a atender de 8 às 11 e das 13 às 18 horas a partir desta segunda (3/2)

Página em Construção

Trata-se de recente método psicoterapêutico que estuda os padrões comportamentais de grupos familiares através de suas gerações. Seu criador, o psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, deparou-se com esse fenômeno nos anos 70, após observar os estudos de Virginia Satir, psicoterapeuta americana, que analisava as chamadas “esculturas familiares”. Atualmente é estudada, em âmbito nacional e internacional, a aplicação do método de maneira integrada às estratégias de solução de conflitos. A Coordenadoria da Cidadania, na pessoa de seu gestor, participa de estudos sobre o tema visando à aplicação dessa ferramenta com o escopo de fortalecimento das ações de cidadania.

O Projeto “APADRINHAR”, da Corregedoria Geral da Justiça, tem por finalidade proporcionar a crianças e adolescentes, em medida de acolhimentos institucional e familiar, a oportunidade de construir laços de afeto e apoio material, com possibilidades de amparo educacional e profissional por pessoas (físicas e jurídicas) da sociedade civil.

Atenta às diretrizes do Provimento nº 4/2010, do Conselho Nacional de Justiça, a Corregedoria-Geral da Justiça, por intermédio da Coordenadoria da Cidadania, desenvolve o projeto denominado por Justiça Terapêutica, como importante ferramenta para implantação de atividades destinadas à reinserção social de usuários ou dependentes de drogas.

Tem por objetivo, em parceria com outros órgãos, garantir que adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade se integrem à sociedade e ao sistema produtivo pela via da cidadania e do trabalho, buscando encurtar a distância entre empresas e jovens em cumprimento de medida socioeducativa, de modo a auxiliá-los no importante primeiro passo rumo à inserção no mercado de trabalho.