Sustentabilidade: Corregedoria adere a programa da Prefeitura de Palmas com foco na coleta seletiva de lixo

A Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Tocantins (CGJU) aderiu, ainda no final de julho, ao Programa Coleta Palmas, que propõe a disponibilização e instalação de estações (containers), visando a coleta seletiva de resíduos sólidos, além da conscientização e sensibilização para o consumo consciente de água, energia e telefone.

Os containers de Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos foram disponibilizados pela prefeitura da Capital e alocados no estacionamento externo ao prédio sede da Corregedoria, de modo que estão aptos a receber o descarte tanto por parte da CGJUS quanto da população da região.

A adesão da CGJUS ao projeto aconteceu em parceria interinstitucional com a Prefeitura de Palmas, seguindo a resolução nº 201 de 03/03/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), onde a gestão do biênio 2019-2021 avançou mais uma meta relacionada ao Plano de Sustentabilidade do TJ-TO, aperfeiçoando o projeto "Usar menos é preservar mais", que foi premiado com o Selo Prata pela Abap e Fieto, no ano passado, em 2018.

“A corregedoria está consciente do seu papel e seu dever socioambiental. Apesar de serem modestas as ações executadas, nós cremos que, no Judiciário, elas são ousadas e transformadoras. O objetivo é que, com o passar do tempo, venham contribuir com mudanças e sejam cada vez mais replicadas”, explicou Guilherme Rocha, Assessor de Projetos da Corregedoria.

Ressaltando ainda a campanha de âmbito interno, que será realizada por meio da indexação de adesivos juntos aos interruptores de cada ambiente da CGJUS, e replicado em todo o Poder Judiciário tocantinense, cujo intuito é o de conscientizar e incentivar todos os servidores a economizarem água e energia, por meio da utilização correta do aparelho de ar-condicionado, lâmpadas de energia elétrica, bem como os computadores e seus implementos.

Entenda

A Resolução nº 201 de 03/03/2015 do Conselho Nacional de Justiça dispõe sobre a criação e competências das unidades ou núcleos socioambientais nos órgãos e conselhos do Poder Judiciário e implantação do respectivo Plano de Logística Sustentável (PLS-PJ), bem como em complemento e total apoio às ações desempenhas pelo Núcleo de Gestão Socioambiental (Nuges) do TJTO, que tem por objetivo promover práticas sustentáveis e reduzir os impactos causados pelas atividades desenvolvidas no tribunal.

 

Texto: Júlia Fernandes / Foto: Divulgação

Comunicação TJTO com informações da CGJU