Corregedor-Geral de Justiça e Juiz auxiliar da Corregedoria participam do 82º Encoge em Foz do Iguaçu

Discutir a atuação das Corregedorias Gerais da Justiça na sociedade e como aperfeiçoar os instrumentos de garantia da cidadania. É com esse objetivo que os Corregedores Gerais da Justiça de todo Brasil estão reunidos em Foz do Iguaçu, Paraná, no 82° Encontro Nacional dos Corregedores Geral da Justiça, ENCOGE, cujo tema é “A Corregedoria e sua Atuação na Sociedade”.

O Corregedor-Geral de Justiça do Tocantins, Desembargador João Rigo Guimarães, o juiz auxiliar da Corregedoria, Márcio Barcelos Costa, além dos assessores jurídicos da Corregedoria, Celzo Filho de Lima Alves e Luis Antonio Nunes Gonçalves, participam do evento que se iniciou ontem (04/09) e que irá até este sábado (07/09).

Na abertura do evento, o Corregedor Nacional da Justiça, o Ministro Humberto Martins falou sobre os desafios do Judiciário brasileiro, especialmente no que refere à modernização, celeridade dos processos e aproximação com a sociedade. Ao falar sobre o tema da sua palestra, “Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça e as Metas 2020 do Poder Judiciário”, o Corregedor Nacional destacou que a gestão estratégica do Judiciário, com seus desdobramentos, planejamento e metas, impõe desafios nas mais diversas áreas, a fim de garantir os direitos da cidadania.

“Esse olhar do Poder Judiciário para o futuro, de forma a alcançar a eficiência da prestação jurisdicional, perpassa por avaliar o resultado das medidas até então adotadas. Nesse sentido, o acompanhamento do cumprimento das metas e o Relatório Justiça em Números, do CNJ, são relevantes instrumentos para a gestão estratégica”, afirmou o corregedor.

Entre os temas abordados na 82ª edição do ENCOGE estão: “Acolhimento Familiar”, “Sistema Eletrônico de Execução Unificado”, “Biometria no Extrajudicial”, entre outros.

No sábado (7), no encerramento do evento, será elaborada, discutida e aprovada a Carta do Paraná, contendo as principais deliberações do encontro.

ENCOGE

O Encontro de Corregedores foi criado em 1994 pelo desembargador Dércio Erpen, do Rio Grande do Sul. A iniciativa busca o aperfeiçoamento e a melhoria da prestação dos serviços judiciais e extrajudiciais. Também visa promover a celeridade processual e aproximar a Justiça da população.

Texto/Fotos: Informações da assessoria de imprensa da Corregedoria Nacional de Justiça