Realizada na tarde de ontem, a solenidade de abertura da correição ordinária em Ananás-TO

A Corregedoria Geral da Justiça abriu nesta última terça-feira (01/10) os trabalhos de Correição Ordinária nas unidades judiciais e extrajudiciais da Comarca de Ananás-TO.

A solenidade de abertura oficial dos trabalhos, que teve transmissão ao vivo pela internet na rede social da CGJUS/TO, ocorreu na tarde de ontem e teve a mesa composta, além do Corregedor-Geral, Des. João Rigo Guimarães, pelos Juízes Auxiliares da CGJUS/TO, Adonias Barbosa da Silva e Márcio Barcelos Costa; pelo Juiz Diretor do Foro de Ananás-TO, Marcelo Eliseu Rostirolla; pelo representante da OAB/TO, seção de Ananás-TO, Renilson Rodrigues Castro; pelo representante da 2ª CIPM de Ananás, 1º Sargento Edivan Borges de Sousa; pelo Chefe da Cadeia Pública de Ananás, José Bonifácio Paz de Sousa e pelo Conselheiro Tutelar, João Alberto Nascimento Silva.

Durante a abertura, o Juiz Diretor do Foro de Ananás-TO parabenizou o Corregedor-Geral pelo trabalho desempenhado à frente da CGJUS/TO, destacando a importância do trabalho correcional, que veio até a Comarca com o intuito de auxiliar e orientar todos no sentido de que as falhas, por ventura, existentes, sejam sanadas. Ressaltou ainda que a Cadeia Pública da Comarca está sendo reformada com o dinheiro proveniente das penas pecuniárias. Por fim, salientou que, atualmente, a Comarca não possui processos conclusos há mais de 100 (cem) dias.

Com a palavra, o Corregedor-Geral, João Rigo Guimarães, fez questão de enfatizar que a Corregedoria tem o compromisso de orientar, e não de punir. Pois no decorrer do tempo, a postura punitiva da Corregedoria transmudou-se para uma postura de humanização, cujo objetivo é orientação e o aprimoramento da prestação jurisdicional. Encerrou, afirmando que a Corregedoria está sempre aberta para atender as demandas e melhorar a prestação jurisdicional das Comarcas de 1º Grau.

As próximas comarcas a receberam a equipe correcional serão Aurora e Taguatinga, conforme cronograma constante da Portaria CGJUS nº 303/2019.

 

Texto/Foto: Corregedoria-Geral da Justiça do Estado do Tocantins