Coordenadoria da Cidadania retoma projeto Tempo de Despertar no combate à violência

“Por um Judiciário que vê, que acolhe, que aceita, que julga, que ordena e viabiliza possibilidades de transformações sustentáveis”, esse é o lema do Projeto Tempo de Despertar, apresentado pela Coordenadoria da Cidadania da Corregedoria-Geral da Justiça em reunião virtual nesta quinta-feira (15/4). O Projeto pretende fazer os autores de violência refletirem sobre suas atitudes e os motivos que os levaram a agredir suas companheiras, ex-companheiras, irmãs, mães, avós, filhas e foi iniciado na última gestão, agora, em nova fase segue para a consolidação das atividades.

Em sua apresentação a responsável pela Coordenadoria da Cidadania, juíza Aline Iglesias, ressaltou que “o programa confere real efetividade ao texto da Lei Maria da Penha, que prevê o atendimento ao agressor através de aulas e terapias. Após esta primeira fase de testes na Regional de Palmas, o objetivo da Coordenadoria da Cidadania é que todos os juízes do Estado possam aplicar as medidas de prevenção previstas no projeto, quando se depararem com processos que envolvam violência doméstica”, explicou.

A corregedora-geral, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, parabenizou a equipe pela apresentação, aprovou a continuidade do Projeto e manifestou que “o projeto tem grande relevância, porque além da proteção à vítima de violência, também se preocupa com a recuperação do agressor, colaborando para evitar a reincidência. É onde a Justiça se torna realmente efetiva”, disse a magistrada.

Participaram da reunião a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, a juíza auxiliar da Corregedoria, Rosa Maria Rodrigues Gazire Rossi, a coordenadora da Cidadania, juíza Aline Bailão, o chefe de Gabinete da Corregedoria, Afonso Alves da Silva Júnior e as servidoras Maristela Alves Rezende, Luciane Rodrigues do Prado Faria e Ana Carina Mendes Souto.