Integrantes da Corregedoria-Geral da Justiça do Tocantins fazem visita técnica ao Judiciário da Bahia para aprimoramento sobre o PjeCor

Uma equipe da Carregedoria-Geral da Justiça do Estado do Tocantins (CGJUS-TO), coordenada pela juíza auxiliar da CGJUS, Rosa Maria Gazire Rossi e coordenadora da Diretriz 2/2021 da CNJ, está em visita técnica à Corregedoria do Judiciário do Estado da Bahia, visando o aprimoramento do uso do PJeCor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O grupo foi recebido em Salvador, Capital baiana, pela juíza auxiliar da CGJUS do interior da Bahia, Liz de Andrade.

Até esta sexta-feira (8/10) a equipe do Judiciário tocantinense participa de curso de capacitação e aperfeiçoamento em PjeCor, ministrado pelos servidores da corregedoria da Bahia Patrick Guimarães e Amanda Gomes, que compartilham conhecimento por meio de metodologia expositiva dialógica e prática.

“Muitas dúvidas foram sanadas por toda equipe numa interação producente e novas práticas adequadas poderão ser adotadas em prol do cumprimento do Provimento 101/2020 do CNJ. Sem contar a possibilidade de replicarmos, em parceria com a Esmat, aos magistrados, as magistradas, servidores e servidoras tocantinenses, como apoio da Corregedoria na implementação e operacionalização do PjeCor”, afirmou a juíza auxiliar da CGJUS-TO, Rosa Maria .

Também integram a equipe da CGJUS do Tocantins os servidores Afonso Alves da Silva Júnior, chefe de Gabinete de Desembargador; Wagner Jose dos Santos, coordenador dos Serviços Notariais e de Registro; Jéssica Cardoso de Sousa, assessora jurídica; Emiliano Teixeira Lopes Vasconcelos Maranhão, assistente de Suporte Técnico e Mônica Maria Nunes Mendes, assistente de Supervisão e Apoio à Primeira Instância da CGJUS .

PJECOR

O PJECOR é um sistema informatizado único para todas as corregedorias, que tem por objetivo unificar e padronizar a tramitação dos procedimentos administrativos, garantindo maior eficiência, transparência e economia na atuação dos órgãos correicionais.

Este grande desafio, cujos passos iniciais foram objeto da apresentação no primeiro encontro do FONACOR, consiste em uma instalação única da plataforma “Processo Judicial Eletrônico”, por meio da qual tramitarão os processos de competência dos Órgãos Censores do Poder Judiciário Nacional.

A Diretriz Estratégica 2 

A Diretriz Estratégica 2 consiste no recebimento de novas representações por excesso de prazo e os novos procedimentos de natureza disciplinar por meio do PJeCor, sistema desenvolvido pelo CNJ para tramitação dos processos no âmbito administrativo das corregedorias.

Kézia Reis – ASCOM CGJUS-TO