Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) conquista o Prêmio CNJ de Qualidade na Categoria Ouro

Pelo reconhecimento das boas práticas dentro dos eixos temáticos: governança, produtividade, transparência, dados e tecnologia, o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) conquistou, nesta sexta-feira (3/12), o Prêmio CNJ de Qualidade 2021, na Categoria Ouro, que estimula os tribunais a buscarem excelência na gestão e no planejamento de atividades, com aumento da eficiência da prestação jurisdicional.

Com 69,05%, o TJTO ficou em quinto lugar dentro da categoria, que teve o Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) em primeiro. Além disso, o TJTO ficou à frente dos Tribunais de Justiça de São Paulo (TJSP) e de Minas Gerais (TJMG), ambos de grande porte. O Prêmio CNJ de Qualidade foi criado em 2019 e substituiu o antigo Selo Justiça em Números, implementado desde 2013. Nos dois primeiros anos do novo prêmio, o TJTO também ficou entre os premiados, mas na Categoria Prata. Os dados apurados abrangem também 2020, ainda na gestão do desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, ano em que a pandemia da Covid-19 provocou impactos diretos nas atividades do Judiciário tocantinense.

“Recebemos a notícia com grande alegria. O prêmio coroa uma gestão feita por todos, com muito esforço, trabalho e união em prol de uma prestação jurisdicional de excelência e que gere resultados significativos para toda população tocantinense. Parabenizo todos os desembargadores, magistrados, diretores, servidores e terceirizados pelo empenho e dedicação. Estamos no caminho certo e se Deus permitir, vamos em busca da categoria Diamante”, frisou o presidente do TJTO, desembargador João Rigo Guimarães.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, todos os tribunais participam do Prêmio CNJ de Qualidade, incluindo os tribunais superiores, os 27 Tribunais de Justiça (TJs), os cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs), os 24 Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), os 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e os três Tribunais de Justiça Militar (TJMs) dos estados.

Texto: Samir Leão

Comunicação TJTO